Incatema garante adjudicação de novo contrato para construir um emissário submarino em Cambérène (Senegal)

7 July, 2021

A Incatema Consulting & Engineering garantiu a adjudicação de um novo contrato para a construção de um emissário submarino para a rejeição de efluentes da estação de tratamento de águas residuais que a empresa está a construir no distrito de Cambérène da localidade de Dakar, no Senegal. O projeto consiste na execução de um poço de ligação com a parte terrestre do referido emissário, que servirá como um poço de ataque para a construção de um microtúnel submarino.

Este túnel terá um comprimento de 1200 metros e 2200 mm de diâmetro e será realizado através de uma perfuradora sofisticada denominada “de escudo fechado” que, ao mesmo tempo que perfura o subsolo, irá aplicando uma conduta de betão armado de 1600 mm de diâmetro interno, em secções de 2,5 m. Na extremidade final dos 1200 ml da conduta, será ligada uma secção de tubagem de polietileno de alta densidade, de 100 m de comprimento e 1200 mm de diâmetro interno, que terá uma série de difusores instalada para a saída do efluente.

Neste sentido, “a construção do emissário é um elemento que está mais dentro do ambicioso plano ambiental para a eliminação da poluição da capital do Senegal. De acordo com o estudo apresentado pelo Instituto Pasteur de Dakar e o Ministério do Ambiente do Senegal, entre outros organismos, a cidade de Dakar apresenta resíduos contaminantes em quantidades variáveis que têm impacto sobre a saúde, assim como sobre os recursos pesqueiros e outros setores”, referiu o Diretor de Infraestruturas da Incatema Consulting & Engineering, Fernando Diaz.

Os emissários submarinos, soluções naturais para combater a contaminação

Os emissários submarinos consistem numa série de infraestruturas submarinas de grande diâmetro e extensão que facilitam o transporte de águas residuais através de uma tubagem (normalmente de polietileno) que se encontram enterradas no fundo marinho. As corrente marítimas e as condições naturais de temperatura, salinidade, pressão e radiação ultravioleta do mar favorecem um processo químico, físico e biológico que purifica as águas residuais e reduz, desta forma, o seu impacto no ambiente. O resultado é que as águas marinhas e as condições do fundo marinho facilitam a desinfeção da água. “Por conseguinte, trata-se de um processo onde a própria natureza se encarrega de eliminar os resíduos de uma forma limpa e eficaz”, disse Díaz.

Neste caso, é ejetado para o mar um efluente que foi previamente tratado com os sistemas mais modernos de depuração na ETAR de Cambérène, cuja ampliação estamos perto de concluir.  

As marés e a orografia do terreno, aliados da descontaminação

A diluição do efluente é criada pelas próprias correntes marítimas geradas pelo vento nas camadas superficiais da água. É afetada pela direção e intensidade do vento, pela morfologia da costa e do fundo marinho e pelas marés. A zona periurbana de Dakar “regista a violação sistemática do direito à água e ao saneamento das pessoas, na sua maioria numa situação de pobreza, residentes em aglomerações recentes graças à migração interna do campo para a cidade que provocam o crescimento urbano rápido e desordenado das comunidades limítrofes de Dakar, em particular de Sangalkam, Yéne e Bambilor”, de acordo com o que se encontra no documento Promoción del Derecho Humano al Agua y Saneamiento en la zona periurbana de Dakar, mejorando las políticas climáticas locales, financiado pela Câmara Municipal de Madrid.

“Neste sentido, a Incatema continua com o seu compromisso para impulsionar a consecução do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 6, para promover o direito à água limpa e ao saneamento nos países em que trabalha”, referiu Díaz. Este projeto para a construção do emissário submarino de Cambérène é a continuação do projeto de construção da ETAR da mesma localidade que referimos anteriormente, onde prosseguimos com os trabalhos de montagem de equipamentos mecânicos, uma instalação que servirá mais de 1 685 000 habitantes, com uma capacidade média de tratamento de 92 000 metros cúbicos por dia, e que poderá suportar picos de tratamento de até 101 000 metros cúbicos diários.